quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Relembre "Sem Lenço, Sem Documento"


Autoria: Mário Prata 
Direção: Régis Cardoso e Dennis Carvalho 
Período de exibição: 13/09/1977 – 04/03/1978 
Horário: 19h 
Nº de capítulos: 149

- Tendo como cenário o Rio de Janeiro, a novela aborda a relação entre empregadas domésticas e patroas. Rosário (Ana Maria Braga) deixa a cidade natal, Olinda (PE), para tentar a sorte no Rio de Janeiro. Vai ao encontro das irmãs Cotinha (Ilva Niño), Das Graças (Isabel Ribeiro) e Dorzinha (Arlete Salles), que trabalham como domésticas, e consegue emprego na casa da manequim e escritora Carla (Bruna Lombardi).

DORZINHA (Arlete Salles) – Terceira das irmãs pernambucanas, trabalha na casa de Orozimba (Kleber Macedo) e seu pai, Adamastor (Antônio Vitor). Extremamente ingênua, adora fotonovelas, imaginando-se, com frequência, personagem de uma delas ao lado do namorado Juvenal (Luiz Orioni). 

Arlete Salles sobre sua personagem:

“Sem Lenço, Sem Documento" era uma novela muito ingênua, gostosa, engraçadinha, que mostrava o universo das empregadas domésticas. Havia quatro protagonistas que eram empregadas domésticas. Eu fazia uma delas. Não era uma novela educativa, reivindicativa, e não sei até que ponto pode ter sido interessante para a classe das empregadas domésticas, mas era uma novela interessante. Não fez um estrondo, não foi um marco na teledramaturgia brasileira, mas foi uma novela extremamente agradável. Eu gostei muito do meu personagem. Ela tinha uma patroa tirana que gritava muito com ela. Ela não andava, corria o tempo todo e, mesmo assim, não conseguia nunca contentar a patroa tirana.