sexta-feira, 9 de julho de 2010

Arlete no "Memorial de Pernamuco" (1996)

Entre 1996 e 1997 Arlete estava em turnê com a peça "Todo Mundo Sabe o que Todo Mundo Sabe", de autoria dos amigos Miguel Falabella e Maria Carmen Barbosa. Numa das passagens da peça pelo Nordeste, Arlete visitou Recife. Pernambucana de Paudalho, Arlete mereceu um artigo inteiro sobre si própria e sobre a peça que cumpria curta temporada de 2 dias no lendário Teatro Guararapes. Essa matéria mereceu uma revisitação do site "Memorial de Pernambuco", com o nome de "Pernambucanos da Gema". Abaixo o artigo escrito pelo jornalista Cledon Pedro Coelho.

Arlete Salles retorna às origens
Cleodon Pedro Coelho
 
Voltar ao Recife é sempre uma emoção especial para Arlete Salles. Desde que deixou a cidade, há 34 anos, ela construiu uma das carreiras mais sólidas da TV e do teatro brasileiros. Consagrada em papéis como Kika Jordão, da novela Lua Cheia de Amor, ou Maria Lúcia, do espetáculo A Partilha, Arlete estará hoje e domingo, no Teatro Guararapes, encenando a comédia Todo Mundo Sabe que Todo Mundo Sabe, escrita por Miguel Falabella e Maria Carmen Barbosa especialmente para ela.
 
Não bastasse o reencontro com os fãs e amigos conterrâneos, a atriz terá na platéia presenças de destaque: a mãe Severina, a nora Maria Isabel, os netos Pedro e Joana, e o filho caçula Gilberto. A reunião familiar ainda inclui o primogênito da atriz, Alexandre Barbalho, que atua no espetáculo. “Fiz questão de que eles estivessem aqui comigo, para comungar esse meu retorno. Quanto mais distante a gente fica, mais dá vontade de fortalecer os vínculos com o passado”, conta Arlete, longe da cidade, desde novembro, quando foi homenageada no 1º Festival Recife do Teatro Nacional.Na verdade, Arlete não nasceu na capital pernambucana. Ela é de Paudalho e, depois de famosa, só voltou à cidade uma única vez. “Foi uma visita muito nostálgica. Fiquei andando pelas ruas, revi a casa onde morava, mas não tenho mais ninguém da família vivendo lá”, afirma. Mas foi no Recife que ela deu início a sua trajetória de sucesso, trabalhando em rádio e na extinta TV Tupi.“Vivi uma fase em que as emissoras locais ofereciam tudo do bom e do melhor para seus artistas. Mas chegou um momento em que elas começaram a reduzir os espaços, passando a transmitir as atrações que vinham do Sul”, depõe. A única alternativa encontrada por ela, que, na época, era casada com o comediante Lúcio Mauro, foi mudar-se para o Rio de Janeiro, onde os programas eram gravados e “exportados” para o resto do País.Arlete não precisou enfrentar as dificuldades que, geralmente, acompanham os artistas nordestinos que tentam se estabelecer no Sul. “A minha história foi diferente. Eu passei por uma situação privilegiada, pois consegui transferir o meu contrato e cheguei ao Rio com a segurança de um salário”, situa. “No entanto, tive que fazer esforço para perder o sotaque e não ficar restrita a personagens regionais”. Conseguiu. Na sua galeria de tipos, figuram a espanhola Pepa (de Cabocla) e a carioquíssima Laura (de Selva de Pedra).Profissional mais que bem-sucedida, a atriz mora com a mãe numa confortável casa no Jardim Botânico. “Essa é uma característica bem nordestina, não se separar dos velhos”, brinca. Com tantos compromissos no teatro e na TV, Arlete gosta mesmo é de ficar recolhida quando lhe sobra tempo. A casa de praia em Saquarema, no litoral carioca, é o refúgio preferido. “É onde eu posso ficar em contato com a natureza, que é pacificadora. Gosto de ir para lá para brincar com os meus cachorros, tomar banho de sol”, afirma.Há cerca de um mês, Arlete Salles foi assunto nos jornais por conta do suposto final de seu contrato com a Globo. Ela esclarece que as negociações entre a sua advogada e o departamento jurídico da emissora ficaram difíceis e, ao dar uma entrevista, comentou que não tinha nenhum projeto em relação à TV, pois não havia chegado a um acordo. Quando a matéria foi publicada, a direção da Globo a procurou para saber o que estava acontecendo e tudo acabou resolvido em pouco tempo. Arlete está com um novo contrato, cuja duração será de dois anos.Os telespectadores não precisarão esperar muito para vê-la na telinha. Na madrugada da próxima segunda, ela estará embarcando para o Rio, a fim de se apresentar para as gravações de Terra do Sol, a próxima novela das sete. “Minha personagem será um tipo bem popular. O nome dela é Tonha das Pamonhas, uma mulher com muitos conflitos, mas que também viverá momentos de humor”, antecipa. A volta da atriz à TV reativará a parceria com Marília Pêra, iniciada em Lua Cheia de Amor. “Tenho uma enorme admiração por ela e, desde que trabalhamos juntas na novela, planejávamos fazer alguma coisa. Terra do Sol vai nos reaproximar, finalmente”, comemora.

Valores sociais discutidos no palco do Guararapes
 
A comédia Todo Mundo Sabe que Todo Mundo Sabe marca a segunda parceria de Arlete Salles com o multimídia Miguel Falabella, no palco. Antes, ela viveu durante seis anos a personagem Maria Lúcia no primeiro grande sucesso teatral escrito pelo artista, A Partilha. Desta vez, é Evangelina, uma mulher nascida em berço de ouro, que, com a morte do marido, fica completamente na miséria.Apesar de tocar em assuntos delicados, como a inversão dos valores sociais, a história de Todo Mundo Sabe provocará muitas gargalhadas. Eis um resumo: Longe das colunas sociais que antes lhe prestigiavam, Evangelina vai se envolvendo numa série de mentiras que, em pouco tempo, transforma a sua vida e a da família num verdadeiro inferno. Tudo para manter as aparências. O último recurso encontrado por ela é casar a filha com um emergente, nome dado aos novos-ricos da sociedade carioca. Para isso, Evangelina conta com a ajuda da tia Dolores Mourão da Cunha, que tem em comum a viuvez e a falta de dinheiro. Além do prazer de atuar num espetáculo feito sob medida para seu talento, a atriz pernambucana está dividindo a cena com um dos mitos do teatro brasileiro, Laura Cardoso. “É um orgulho muito grande trabalhar com ela”, exulta.Arlete afirma que Todo Mundo Sabe é um presente duplo. “Ganhar um texto do Miguel e trabalhar ao lado do meu filho, Alexandre, me deixa emocionadíssima”, garante. No espetáculo, o rapaz - que é pernambucano, fruto de seu casamento com Lúcio Mauro - interpreta o novo-rico que se candidata a comprar o badalado apartamento de Evangelina para ganhar ares de aristocrata. Sem saber, ele acaba sendo a tábua de salvação para evitar a decadência total da família.

Fonte: Memorial de Pernambuco.