quinta-feira, 29 de julho de 2010

"A idade não é meu carma" - revela Arlete a Amaury Jr.

"A idade não é meu carma", essa foi uma das frases disparadas por Arlete durante a entrevista para o programa "Amaury Jr". Arlete falou de "Toma Lá, Dá Cá", do amigo Miguel Falabella, disse que de todas as personagens que já fez as que mais se indentificou foram Carmosina, de "Tieta", e Lúcia da peça "A Partilha", mas foi Copélia, do humorístico "Toma Lá, Dá Cá" que deu à Arlete maior transgressão dentro da carreira. A história da sexualidade na terceira idade retratada por Copélia é, de acordo com Arlete, transgressor.

"Não tenho medo da morte, tenho medo de morrer", diz Arlete citando Gilberto Gil.

"Eu tenho mais amigos homens, mas tenho lindas amigas: Marília Pêra, Aracy Balabanian, Sônia Clara... Miguel Falabella, e continuo fazendo amigos..." revelou a atriz, que se prepara para encarnar um novo papel na próxima novela

"Computador você ama ou odeia, e eu peço à minha secretária para responder e-mails. Não sei ficar parada resolvendo a vida na frente do computador"

Livros de cabeceira de Arlete: Os Pilares da Terra (Keen Folet) e O Equador (Miguel Sousa)

"Abri mão do computador, assisto menos televisão para ter mais tempo, mas acho importante ver televisão para saber o que está acontecendo".

"'Hairspray' foi um upgrade na minha carreira"

"A última viagem que eu fiz foi a Miami representando 'Polaróides Urbanas' com Miguel e vou voltar a Nova York com Miguel também"

"A comédia foi surgindo na minha vida, não foi uma decisão minha. Um dos gêneros mais difícieis do teatro é a comédia, porque ela tem o tempo dela, é quase matemático".

"O mundo da política está muito difícil, muito ruim, é um jogo muito perverso. Tem bons políticos, mas é um grand enúmero de pessoas sem caráter e sem seriedade no seu trabalho."

O programa foi ao ar na madrugada de 30 de julho. Breve aqui a entrevista na íntegra.