sábado, 12 de fevereiro de 2011

Taís Araújo em cena com quase cinco meses

Rio - ‘Que azeitona, que nada. Já é um pêssego!”, brincava Taís Araújo, animadíssima, sobre a barriguinha saliente de quatro meses — quase cinco — que ficou em evidência na estreia para convidados da peça ‘Amores, Perdas e Meus Vestidos’, na noite de segunda-feira, no Teatro do Leblon. “Outro dia, li não sei onde, que eu não ia querer saber o sexo do bebê. Você acha que eu, curiosa do jeito que sou, aguentaria esperar? É um menino. Eu e Lázaro não tínhamos preferência quanto ao sexo. Só queremos o que todos os pais querem: que venha com muita saúde”, avisou. O ator não compareceu por conta do primeiro capítulo de ‘Insensato Coração’, ao qual assistiu ao lado do elenco e da equipe da novela. Mas, assim que saiu do teatro, o celular de Taís tocou e adivinhem quem era? “Oi amorrrr, foi tudo ótimo”, respondia a atriz.


Em cena, além de Taís, Arlete Salles, Carolina Ferraz e Ivone Hoffmann divertem contando histórias reais de mulheres que dividem experiências de vida a partir das memórias das suas roupas. “Gente, não entendo blusa de gola rolê sem manga! Ou a pessoa está com frio ou está com calor!”, disse a personagem de Taís, levando o público às gargalhadas.

“Qualquer mulher com menos de 40 que nunca se vestiu de Madonna ou é freira ou está mentindo”, rebateu Arlete. “Não use calcinha preta no Ano Novo!”, dizia Carolina em uma de suas falas. “Não use calcinha no Ano Novo!”, reforçava Ivone. A plateia veio abaixo.

Papo calcinha
“Minha avó só acreditava em dois remédios: para o lado de dentro, uma xícara de chá. Para o lado de fora, Hipoglós”.

“Quando o cirurgião perguntou o tamanho do peito que eu ia querer, não pensei duas vezes: Fafá de Belém”.

“Comprei uma bolsa amarela e azul. O lado ruim é que ela não combina com nada. O bom, é que como nunca esteve na moda, nunca vai sair dela”.

“Nunca use calça preta com camisa branca. Vai ficar parecendo ajudante de cozinha”.

“Vamos parar de fingir que alguém vai inventar o novo preto? O preto é eterno”.


Para ler a entrevista completa clique AQUI.