quinta-feira, 2 de junho de 2011

Relembre: "A Sucessora"

Autoria: Manoel Carlos
Direção: Herval Rossano, Gracindo Júnior e Sérgio Mattar
Período de exibição: 09/10/1978 - 03/03/1979
Horário: 18h
Nº de capítulos: 126
- Germana (Arlete Salles), irmã de Roberto Steen, é uma mulher de personalidade forte que contraria os padrões de comportamento da sociedade carioca na época. Ela sustenta e domina o marido, Vasco (Kadu Moliterno), um homem muito mais jovem do que ela.


                                              Arlete Salles sobre sua personagem:

Quais são as suas lembranças de A sucessora?

Essa foi um marco. A sucessora foi um marco na teledramaturgia do Brasil. O texto foi baseado, ou inspirado, em um filme que também fez sucesso no mundo inteiro chamado Rebeca. A protagonista foi interpretada pela Suzana Vieira que fez deslumbrantemente bem e eles me deram um personagem chamado Germana. Nessa novela, eu me reencontro com Kadu Moliterno. Ele já havia conseguido se estabelecer na televisão, já havia tido outras participações em novelas e foi escalado para um papel muito importante de A sucessora: ele fazia o meu marido. Minha personagem era uma mulher madura, com um marido mais jovem, que ela dominava, tiranizava. Era ela quem tinha o dinheiro, que pagava tudo, que era a provedora do casal. Era um personagem extremamente ‘feminista’, porque tiranizava o marido e quando as amigas diziam: “Mas você não pode tratá-lo assim! Você o aprisiona muito”, ela respondia: “Posso! Eu pago e pago muito bem para ele ficar a minha disposição.” Ela não tinha o menor constrangimento! Não tinha o menor problema em relação a ser casada com um homem mais jovem o qual ela mantinha.


Você lembra das gravações dessa novela? Como era a rotina de vocês?
As novelas ainda eram todas realizadas na Rua Von Martius. Tínhamos no máximo dois estúdios: um maiorzinho e outro menor. Já era um grande progresso, porque no início só tínhamos um estúdio para tudo. Nesse momento, a novela já estava no seu maravilhoso processo de evolução, já com uma produção superestruturada e bem cuidada. Essa novela teve um figurino lindo e a direção do Herval Rossano. É até hoje uma das novelas mais vendidas e mais assistidas fora do Brasil. A Germana era um personagem louco, maravilhoso, uma mulher forte e corajosa que colocava a sua opinião sem nenhum constrangimento, e isso no início do século. Ela teve a coragem de transgredir, de viver a sua história, com o seu casamento fora dos padrões tidos como normais, e, por isso, era um personagem muito rico









Fontes: Memória Globo, Novelas Classicas, Para recordar novelas e famosos