sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Relembre "Salsa e Merengue"

Autoria: Miguel Falabella e Maria Carmen Barbosa
Direção: Wolf Maya, Ignácio Coqueiro e Maurício Farias
Período de exibição: 30/09/1996 - 02/05/1997
Horário: 19h
Nº de capítulos: 177

-
A elegante e rica Bárbara (Rosamaria Murtinho) dá à luz um filho morto. Guilherme (Walmor Chagas), marido dela, troca o corpo da criança por um bebê cuja mãe é muito pobre e não tem condições de criar o filho. Depois de 30 anos, Eugênio (Marcello Antony), o menino trocado, sofre uma contaminação por mercúrio, desenvolve leucemia e precisa de um transplante de medula urgente. Mas a cirurgia só poderá ser realizada com a doação de um parente consanguíneo. Diante do risco de morte do filho, Guilherme tem de contar a verdade à Bárbara. Tudo esclarecido, os dois vão em busca de Anabel Muñoz (Arlete Salles), mãe verdadeira do rapaz e única que pode salvar a vida dele.


- Anabel manteve segredo sobre sua gravidez, mas nunca esqueceu a criança que teve, no passado, com o inescrupuloso Urbano (José Wilker). Viúva do cubano Félix Munõz, ela tem outros cinco filhos: Valentim (Marcos Palmeira), Remédios (Bia Nunes), Amparo (Thaís de Campos), Assunção (Gabriela Alves) e Antônio (Alexandre Barilari).

                                               Arlete Salles sobre sua personagem:
Era muito engraçado, aquela mulher forte, destemida, mas sofrida, com aquela filharada, naquela luta pela vida. O texto do Miguel era uma coisa fantástica, ele escreve coisas que ninguém nunca escreveu antes, e ele usa sempre a ótica do humor para falar de coisas sérias. O texto era irrepreensível. Eu gostei muito desse personagem também, tinha pequenos toques de comédia, porque é a marca, o elemento do trabalho do Miguel. A argila dele é o humor. Todo o trabalho dele é pontuado pelo humor. A moldura do trabalho do Miguel é sempre humor, graças a Deus. Era um personagem rico. Seu traço mais forte era a maternidade. Era uma mãezona, uma mulher que lutava junto dos filhos. Mas que também não abria mão do seu lado feminino, da sua sexualidade, e afinal ela foi em busca de um novo companheiro para retomar a sua vida de mulher.







Fonte: Memória Globo