terça-feira, 22 de junho de 2010

Arlete Salles, a próxima vilã do horário nobre! (Reportágem de 2000)


Quando escreveu a personagem Altiva para Eva Wilma em "A Indomada", Aguinaldo Silva não fazia idéia de que sua vilã acabaria roubando a cena da mocinha da história - interpretada por Adriana Esteves - e tornando-se a preferida do público que acompanhava a novela. É o que Silva e Ricardo Linhares pretendem fazer com Arlete Salles na novela "Porto dos Milagres", que entrará no lugar de "Laços de Família" em fevereiro de 2001.


É óbvio que o desempenho da experiente atriz foi o elemento essencial para que a vilã, apesar de odiada, também se transformasse no personagem mais divertido da história. Desta vez Arlete será Augusta Eugênia, a guardiã da igreja e toda poderosa da cidade fictícia do interior do Nordeste que também dá nome à trama.
Assim como em suas histórias anteriores, Silva vai fazer com que sua vilã se alie aos preceitos religiosos para seguir com as maldades em nome de Deus. "Na verdade, temos duas vilãs: a Adma (Cássia Kiss) e a Augusta Eugênia, que é cômica, na mesma linha da Altiva", confirmam os autores.

Ela está empolgada com a oportunidade de viver uma vilã, ainda mais em horário nobre. "Augusta Eugênia é uma doida adorável, muito presente na trama. Não vai me deixar tempo para mais nada. Mas estou achando ótimo", ressalta.

Augusta Eugênia fará parte do elenco principal da novela e, se depender da intérprete, não faltará ânimo para dar brilho à malvada. "Há muito tempo eu não interpretava uma personagem tão chique. Ela é muito bem-vestida, bem-penteada. E não é uma Kika Jordão", diz, referindo-se a sua personagem em "Lua Cheia de Amor". "A Kika era rica, mas muito brega. Já a Eugênia tem berço, é bem nascida. Em seu armário há um vestido arrematado em leilão que foi de Jacqueline Kennedy", adianta a atriz. A vilã de Arlete estará dentro de um contexto fantasioso, que mistura a cultura religiosa da Bahia com cenas urbanas do Rio de Janeiro.

Por conta das viagens feitas pelo elenco para a Espanha, onde foram gravadas cenas com os atores Antônio Fagundes e Cássia Kiss, cada capítulo da novela já está saindo bem caro à emissora: cerca de R$ 200 mil, o dobro que foi gasto em "Terra Nostra". As viagens não terminaram com o final das gravações no exterior, parte da cidade cenográfica foi montada na Ilha de Comandatuba, na Bahia, e a outra parte continua no Projac.


Fonte: Diário do Vale